41% dos britânicos contam com carne em laboratório se tornando realidade em 10 anos

Aline Baroni|
16 Março 2018

Mais de quatro em cada 10 britânicos acreditam que, dentro de 10 anos, estaremos comendo carne desenvolvida em laboratório, de acordo com um levantamento feito pela empresa de mídia Starcom no Reino Unido.

A pesquisa foi feita com 2 mil pessoas como parte de uma consulta sobre tendências de consumo do futuro e como comportamentos emergentes impactarão as marcas e a sociedade como um todo.

Com o aumento do preço dos alimentos, causado sobretudo por produtos de origem animal, 90% dos britânicos dizem que tirariam alguns produtos da cesta de compras — começando por carnes, antes de cortar frutas e verduras.

“Os resultados são fascinantes se olharmos para as motivações e percepções dos consumidores”, diz Jodie Stranger, chefe-executiva da Starcom UK Group. “Para um alimento que apenas recentemente começou a receber investimentos propriamente, já ter esse nível de aceitação é incrível. Aparentemente, a disposição para experimentar algo novo e diferente vem da vontade de ajudar o planeta a reduzir as consequências da produção de carne”, completa.

A carne desenvolvida em laboratório é feita a partir de uma cultura de células e tem sido desenvolvida há décadas, mas recebido especial atenção nos últimos anos, quando a consciência sobre a crueldade contra animais e os danos ambientais envolvidos na produção de carne se tornaram de conhecimento geral.

Um exemplo dessas empresas é a Memphis Meat, que ainda não comercializa seus produtos. A startup “cultiva” carne artificialmente, a partir de células-tronco, nutrindo-as com oxigênio, açúcar e outros nutrientes. Motivada por consumidores preocupados com direitos animais, saúde e questões ambientais que envolvem a carne “real”, a Memphis afirma que seus processos usam apenas 1% das terras e 10% da água se comparados à pecuária convencional. O melhor? Sem a necessidade de abater nenhum animal.

O negócio é tão inovador que tem chamado atenção até mesmo de empresas de exploração animal que estão em busca de direcionar sua produção para esse novo mercado. Há poucos meses, a empresa Tyson, segunda maior produtora de carne do mundo, anunciou investimentos na Memphis Meats. Com isso, ela se junta a outros investidores de peso, como Bill Gates, fundador da Microsoft, e Richard Branson, magnata britânico fundador do grupo Virgin.

Iniciativas como essa podem ser fundamentais para salvar a vida de bilhões de animais, uma vez que uma parcela imensa da população ainda consome carnes.

No entanto, se você quiser fazer sua mudança pela sua saúde, pelo meio ambiente e pelos animais desde já, não é preciso esperar pelo futuro: você pode adotar uma dieta vegetariana saudável, gostosa e compassiva. Clique aqui para saber como começar.

Compartilhe sua história

Preencha o formulário

Obrigado por se inscrever!

Nome

Formato inválido

Sobrenome

Formato inválido

Ocupação

Formato inválido

Foto

(image only: JPG or PNG, less than 300KB)

Formato inválido

História

Formato inválido